Sara Cabido - Omni Aviation Training Center - Escola de Aviação
  • Curso integrado de piloto de linha aérea de aviões

  • Curso de Assistente/Comissário de Bordo

  • Curso de instrutor de aviões

  • Curso de Oficial de Operações de voo

 

Curso Tripulante de Cabine

Foram cinco semanas intensivas. A matéria estava dividida por módulos: introdução, makeup and appearance, general aircraft system, standard operating procedures, aircraft general, vip executive service, emergency procedures and safety equipment, aviation healthy nutrition, aero-medical aspects and first aid, water survival practical, fire and smoke training, security and unruly passengers, dangerous goods, legislation, passenger handling and cabin surveillance, crew resource management, aeronautical english, mockup evacuation e final exam.

Assim até vos pode parecer muito confuso e muita matéria para ser dada em cinco semanas. Mas a verdade é que este é um curso inicial e em cada módulo apenas abordamos os aspectos que são comuns as todas as companhias — e todas as disciplinas se revelaram muito importantes e interessantes.

Aprendemos rapidamente que o trabalho de um flight attendant é muito mais do que servir "chá, café ou laranjada". Há todo um minucioso trabalho de fundo da nossa parte  e percebemos que sem nós não haveria nenhum avião comercial que descolasse.

Os tripulantes de cabine conseguem ser tudo um pouco. Aliás, podem ver os módulos que foram leccionados. Trabalhamos com o público, servimos bebidas e refeições, é certo. Mas temos formação de primeiros socorros e, numa emergência, conseguimos ser médicos ou enfermeiros, bombeiros ou nadadores salvadores. Temos formação de sobrevivência em ambientes hostis e somos treinados para controlar as nossas reacções. Quando todos os outros entram em pânico, nós temos que entrar em acção. Basicamente é isso.

Antes de cada voo há toda uma preparação da cabine, onde temos que confirmar e controlar todos os aspectos de segurança. Mesmo durante o voo, por mais curto que seja, a nossa principal preocupação (e, doravante, função) é assegurar que o avião se encontra seguro e sempre pronto para qualquer eventualidade. As bebidas e comidas são servidas, sim, preferencialmente entre sorrisos mas só — e apenas só — quando há condições para o fazer. Não é prioritário. É claro que em 99% dos voos é um serviço ao público de excelência que queremos prestar aos nossos passageiros e por isso fazemo-lo sempre.

Com o passar do tempo, terminámos os módulos que faltavam — com os respectivos testes (um teste final por módulo) — e no último dia fizemos o exame final. Este exame é composto por perguntas dos vários módulos de matéria que demos ao longo do curso. Na minha opinião, a matéria é dada de forma clara e concisa. É-nos fornecido, no primeiro dia de aulas, o compêndio de toda a matéria e os testes são relativamente fáceis, por isso estes testes e exame não são nenhum bicho de sete cabeças.

Depois do curso, é-nos entregue um certificado e o cabin crew attestation e a OATC dá- vos ainda a oportunidade de prestarem provas para integrar a equipa de tripulantes da White Airways. Estas provas são compostas por um processo dividido em duas partes asseguradas pelo curso. A primeira consiste num teste escrito de línguas (inglês e espanhol) e a segunda parte trata-se de uma entrevista pessoal, em português e inglês. Se forem seleccionados e aprovados em ambas as fases poderão vir a ser chamadas para a entrevista final.

Depois do curso ficamos com uma sensação doce-amarga. Passa muito rápido e de lá guardamos óptimas memórias e construímos amizades que nunca sonharíamos fazer. Hoje em dia somos colegas, alguns a trabalhar na mesma companhia e partilhámos todos uma aventura em comum: a turma 02/2018 da OATC.

Agora, à luz da actual pandemia, acredito que muitos de vocês tenham colocado o sonho de voar em standby. Mas posso-vos dizer que tudo vai ficar bem e que os céus voltarão a ser o escritório de muitos. Eu (felizmente) nunca deixei de voar e deixo-vos aqui o incentivo: não abandonem o vosso sonho. Inscrevam-se no curso para que, em breve, também possam ter as vossas asas!

A minha formação é em design — área que tem um espaço grande no meu coração e que vou conseguindo manter — mas ter trocado o computador pela janela do avião, as jeans e tshirts pela farda e a rotina pelos horários alternados foi a melhor decisão da minha vida. E hoje em dia, três anos depois, não podia estar mais feliz.